terça-feira, 3 de junho de 2014

In Memoriam



Quando o céu
assume a forma
de noite escura
Os gritos ecoam
Entre as paredes
de gesso
e pedra.
Um prédio abandonado
agora contém
um fantasma suplicante
escondido nos cantos
assombrando um lugar onde nunca viveu...
Mas encontra-se preso
Por escolha própria.
Ouço o chamado dos lobos
nesta noite escura
no seu cântico
pressinto a morte
pois o rio torna-se vermelho
com o sangue do meu próprio sacrifício.
Eu ia escrever-vos um poema.
Torcer as letras através da página até que despertasse em liberdade,
respirando através do papel para a existência.
e elas recusam até passar da caneta para o papel que encontrei.
Resta-me então o prédio abandonado,
a noite escura
o cantar dos lobos
o rio vermelho
o fantasma do presente
e as palavras que não disse....

... e o céu que assume a forma de noite escura.

SLL

Sem comentários:

Publicar um comentário