sexta-feira, 27 de junho de 2014

Confissões de um Cão Vadio (1994)


Sim, sou eu... 
sou eu que percorro de noite os caminhos da vossa terra, ladrando e uivando a incomodar o vosso descanso.

Sou eu o culpado dos caixotes do lixo virados e revolvidos... sou eu que vos persigo à saída dos supermercados e vos observo com olhos que imploram, os sacos cheios de compras e de comida...

Sou eu o culpado da porcaria que pisam quando passam na rua
e do espectáculo degradante que vêem quando nos observam deitados a monte debaixo de algum carro ou na berma da estrada à chuva, ou debaixo de um sol escaldante de Verão.

.... sim, sim! sou vadio, mendigo, sujo e desgraçado....

... mas sou assim porque vocês, os "HOMENS", me reduziram a esta miserável existência!!!

Abandonaram-me na estrada, a mim e a tantos outros... feridos, espancados, desprezados
para sermos apanhados e MORTOS!

Aqueles que de entre nós, têm sorte, encontram alguém que os leva consigo, os trata, alimenta e lhes dá um caixote para dormir...
... ah, esses! Esses já não vos incomodam!

Mas NÓS, que chegámos a este ponto de "existência", sem amor nem abrigo
continuaremos pelas ruas a virar caixotes do lixo para encontrar algo que sirva para enganar a fome...
Seremos novamente desprezados, espancados, apanhados e MORTOS...

mas aaahh!!! enquanto nos restar UM sopro de vida
vamos uivar o nosso sofrimento e ladrar em protesto contra o "Homem" que nos MUTILA e ABANDONA!!!!!!!

SLL
Nov 1994

Sem comentários:

Publicar um comentário