quinta-feira, 5 de junho de 2014

E-Mail II



17/12
                            4.50

Boa noite!

Sei que não me entendo, hoje!
Sinto-me só... por destino!

Fico-me assim por indisposição!
Longe, perto, sempre ausente de mim!

Que faço de mim?

O que serei capaz de fazer por mim?

E por quem amo?

Prisioneiro de passados já passados, porventura nunca vividos...
amarrado e amarrotado por quem não entende que a vida é mais...
muito mais do que isso!

Sinto-me indeciso, certo do que quero, a quem quero e por onde hei-de caminhar!

Não fosse este orgulho incompreensível ou esta cobardia assustadora só me restaria desistir de tudo... de todos!

Tivesse eu coragem e haveria quem me ajudasse?

Dezembro, em vésperas de um Natal menos frio que os anteriores, mas mais áspero do que todos os que até hoje vivi... e eu sem saber quantos natais já passaram por mim!

AMO-A... e terei de saber o que fazer com este tormento!

J. Orlando Rocha in CHATices

Sem comentários:

Publicar um comentário