terça-feira, 27 de maio de 2014

Porque



Porque é que tu, amigo te escondes
quando a lua empalidece no horizonte
e quando o mar, que vai e que volta
te sussurra palavras com que te identificas?
Porque é que tu, amigo, te escondes
quando lá fora o sol se acalma
e torna brasa a cinza dos sonhos que já deixaste?
... porque é que tu, amigo te escondes
da madrugada que, por fria, húmida e só
te entende e te aceita
e te acolhe ainda que a renegues?

Que feitiço tem, amigo, o arco íris?
- Embora seja feito de água e sol,
embora te faça sorrir e seja belo...
amanhã devolver-te-à a chuva que o criou, em forma de lágrimas
e desaparecerá do teu horizonte, veloz como o vento... até que cries um novo em seu lugar
mas este, nunca será o mesmo...

Que tristezas, amigo, resguarda a tua alma
pois que teimas em ver o que não existe...
(porque uma pedra não passa mesmo duma pedra?)

Para lá do monte que te obscurece o espírito
há decerto um vale florido, com uma cascata voltada a sul
onde podes aquecer-te ao sol das tuas convicções
onde o céu é da cor dos teus sonhos
e o mar reflecte um arco íris composto de verdade.

SLL

Sem comentários:

Publicar um comentário