quarta-feira, 28 de maio de 2014

Descrições



Ah, se eu pudesse descrever
a luz, branca,
eléctrica e brilhante
que os meus olhos irradiam,
quando os meus pensamentos
em teias apertadas,
formam sonhos
de natureza empoeirada e silenciosa.

Sonhos,
que flutuam em jangadas
feitas de ar...
mas densos o suficiente
para agarrar,
num momento isolado.

Aprendi
que não serão capturados
durante mais do que alguns segundos.

Sinto-me
como que presa
no momento presente
olhando os meus próprios pensamentos
épicos, extravagantes
que se cruzam
pelas etéreas paisagens
na aridez da realidade...

SLL

Sem comentários:

Publicar um comentário