terça-feira, 27 de maio de 2014

O Beijo



Parados no tempo, observavam-se mutuamente.
O lenço atado ao pescoço dela esvoaçava ao sabor das rajadas do vento forte...
Lentamente, ele estendeu a mão para lho afastar do rosto, e por puro acaso os seus dedos tocaram-lhe nos lábios.

Dois mundos pararam.
Duas respirações se alteraram.
Dois corações dispararam na quietude da noite.

Lentamente, a ponto de ela achar que era imaginação sua, ele aproximou o rosto do dela em busca dos seus lábios.
Desejo e medo entraram em conflito. Ela ansiava pelo beijo como há muito não desejava algo... mas se tinha de trilhar sozinha o caminho para o nada, porquê sobrecarregar o coração com lembranças?
- E que dele já as tinha demasiadas...

- Não! - Sussurrou, quando o beijo já parecia inevitável.

Momentos se passaram sem que nenhum dos dois falasse... de olhos baixos. Os dela, rasos de água, pestanejando para que ele se não apercebesse da dor cor de mar. Os dele, como sempre, impenetráveis.

Finalmente, ele afastou-se. Os seus olhares cruzaram-se pela última vez.
E ela ali ficou observando-o partir, com a certeza triste de que havia desejado aquele beijo. E mesmo sabendo que alguém algures o espera, não mais evitou deixar cair as lágrimas, por saber que, naquele fugaz instante fora correspondida.
E chora até hoje.

SLL

Sem comentários:

Publicar um comentário