terça-feira, 27 de maio de 2014

Onde (Dove)



Onde os ruídos se esbatem
e renascem em divina melodia.
Onde torrentes passam sobre antigas rochas
e se tornam um imenso lago de paz.
Onde o vento gélido e impetuoso
se transforma em brisa aprazível
Onde as árvores secas e nuas,
estão vestidas de folhagem luxuriante.
Onde o matagal selvagem e espinhoso,
se reveste de um mar de giestas odorosas.
Onde as palavras fúteis se dispersam no ar
e são transformadas em poesia sublime.
Onde meu coração abalado, agitado
Se torna porto seguro e amoroso
Continuas tu a viver serenamente ...


Original em Italiano, de Aldo Riboldi
Tradução d'a Escriba



 Dove i rumori si spengono
 e rinascono in divina melodia.
 Dove torrenti scorrono su antiche rocce
 e diventano immenso lago di pace.
 Dove il vento gelido ed impetuoso
 si trasforma in brezza leggiadra
 Dove alberi rinsecchiti e spogli,
 si rivestono di chiome lussureggianti.
 Dove incolte e spinose sterpaglie,
 si rigenerano in mare di ginestre odorose.
 Dove futili parole si disperdono nell’aria
 e si ricompongono in sublime poesia.
 Dove questo mio cuore scosso, agitato
 diventa tranquillo e amorevole approdo
 tu, silenziosamente continui a vivere…

Sem comentários:

Publicar um comentário