quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Para Além...




A cada passo que dou, a cada linha que escrevo, a tua presença impera como o fogo que consome a madeira envelhecida pelo tempo,
batida ao vento de leste, tal qual a brisa que sai dos teus lábios quando os separas para um beijo húmido e cálido como a espuma do mar.

Dança comigo pelas esferas celestes, pelos mares leitosos do universo, de cujas águas bebo, insaciável enquanto os teus braços me levam de volta a casa.

Vejo palavras sem nexo desfilando ante meus olhos enquanto contemplo todas as facetas de mim e as trabalho com a delicadeza de um amante há muito esquecido.

O mar, é eterno e tudo o que sou é simplesmente...
uma gota na imensidão de um rio

e quantos rios partem dessas águas que, quando traçadas a lápis, se vê nelas passado e presente, futuro e um destino?

O preço deste destino é uma bem-aventurança do que havia conhecido...

uma fénix fulgurante subindo dos fogos do Hades, ofuscando o sol em que se funde ao sair pela minha janela, de regresso à vida

e essa luz é reflectida nas águas doces do teu mar, ali, além de todas as praias,
para lá da areia onde se encontram paraísos incontados... coração no coração e daí para a eternidade.

Se a minha força é Luz aberta, a minha dor é a Treva profunda onde me esperas, no final do mais profundo oceano cósmico, empunhando as tintas com que coloriste e embaciaste a minha alma, não com correntes, mas com fitas de seda rubra como os meus lábios

E na minha pena correm as palavras que te perfumam, como a prata líquida que percorre os teus cabelos...

SLL2015

Sem comentários:

Publicar um comentário