domingo, 5 de abril de 2015

Soltas



Correr loucamente pelas pradarias e sentir o vento numa carícia doce, quase como um beijo...
... confessar à lua palavras indizíveis

(o que reside no coração basta-se num olhar).

Dormir um sono com sonhos de pluma e de papel, onde as cores se misturam e se esbatem como num arco-íris imaginário que contém todo o espectro universal....
.... Ah! quem me dera ser mar....


SLL2015

Sem comentários:

Publicar um comentário